Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Contexto de ampliação da área do Campus Universitário do Tocantins/Cametá (Sede e Polos Universitários) a partir de 2013

  • Publicado: Quarta, 07 de Abril de 2021, 00h00
  • Última atualização em Quinta, 08 de Abril de 2021, 11h30
  • Acessos: 102

Até 2012, o Campus Universitário do Tocantins/Cametá (Sede) possuía uma área de 3.476 m². Foi nessa área, onde havia a Escola Municipal Maria Cordeiro, que o Campus iniciou suas atividades, a partir de doação da Prefeitura de Cametá na década de 80 do século passado.

A partir do REUNI – Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais, criado em 2007, essa área passou a receber as construções de Laboratórios, salas de aulas, gabinetes de pesquisadores e pesquisadoras, biblioteca, auditórios, espaços administrativos, como também, atualmente, melhorias a partir de recursos obtidos junto à administração superior da Universidade Federal do Pará, como laboratórios para todos os cursos, espaço de movimento estudantil, auditórios reformados, atelier de aprendizagem, dentre outras ações, como área de convivência já com recurso definido.

Foto do Campus Universitário do Tocantins/Cametá-UFPA (Sede)

 

A partir de 2013, entretanto, por meio de doações à Universidade Federal do Pará, fruto de mediações de gestão, o Campus Universitário do Tocantins/Cametá/UFPA passou por uma ampliação de sua área para 48.202,75 m², correspondendo a um aumento de 1.387% metros quadrados. Assim, integrando o que se tinha até 2012 - 3.476 m² - com o obtido a partir de 2013 - 48.202,75 m² -, decorrente também de um processo de gestão que começou a partir de 2005, o Campus possui hoje aproximadamente 51.679 m². Esse aumento é importante para um projeto em construção, enquanto processo histórico, de uma futura Universidade Federal da Amazônia Tocantina – a UFAT, pois garante condições para possíveis futuros campi dessa nova Universidade, assim como novos prédios.

Fonte: Documentos de doações à Universidade Federal do Pará presentes no site do Campus: http://www.campuscameta.ufpa.br/index.php/dados-abertos

 

Esses 48.202,75 m², obtidos documentalmente a partir de 2013, decorrem de 04 grandes processos prospectivos de doação à Universidade Federal do Pará, Campus Universitário do Tocantins:

  • Doação, a partir de 2013, de 900 m² pela Prefeitura Municipal de Cametá. Nessa área foi construída a Moradia Estudantil do Campus Universitário do Tocantins/Cametá, inaugurada no início de 2020, antes do contexto pandêmico.
  • Doação, a partir de 2013, de 824 m² pela Prefeitura Municipal de Mocajuba, com área construída, para o Polo Universitário de Mocajuba, ligado ao Campus Universitário do Tocantins/Cametá.
  • Doação, a partir de 2013, de 478,75 m² pela Prefeitura Municipal de Baião, com área construída, para o Polo Universitário de Baião, ligado ao Campus Universitário do Tocantins/Cametá.
  • Doação, a partir de 2013, de 40.000 m² pela Família Faleiros Lima, em Cametá, para se constituir o Campus II do Campus Universitário do Tocantins/Cametá.

Fonte: Documentos de doações à Universidade Federal do Pará presentes no site do Campus: http://www.campuscameta.ufpa.br/index.php/dados-abertos

 

Nos 3.478,75 m² doados pela Prefeitura Municipal de Baião, a partir de 2013, o Polo Universitário de Baião, ligado ao Campus Universitário do Tocantins/Cametá, apresenta 06 salas de aula climatizadas, um miniauditório, uma pequena biblioteca em iniciação, um laboratório de informática ligado à internet – 4 MB a partir da Universidade e com WI-FI aos discentes -, mobília, banheiros, área de convivência, refeitório/cozinha, sala de coordenação, sala de impressão. E ainda há construção para ser finalizada e área por construir. É espaço que tem recebido melhorias em sua estrutura nos últimos anos.

Foto do Polo Universitário de Baião

 

Nos 3.824 m² doados pela Prefeitura Municipal de Mocajuba, o Polo Universitário de Mocajuba Sérgio Maneschy, ligado ao Campus Universitário do Tocantins/Cametá, apresenta 08 salas de aulas climatizadas, banheiros, prédio administrativo - com laboratório de informática ligado à internet (com 4 MB a partir da Universidade e com WI-FI aos discentes), biblioteca com acervo fruto de doações e da Unidades, sala de coordenação e secretaria, sala de professores -, cozinha, refeitório e espaço descanso  (em processo de melhorias/construção), espaço multiuso para ações recreativas, reuniões, apresentações, bem como uma quadra poliesportiva. O Polo se encontra em reforma, a partir de recursos da administração superior da Universidade. E ainda há área para possíveis construções.

Foto do Polo Universitário de Mocajuba

 

Nos 900 m² doados pela Prefeitura Municipal de Cametá, foi construída a Moradia Estudantil do Campus Universitário do Tocantins/Cametá, inaugurada ainda no início de 2020, em um contexto de não estado pandêmico até aquele momento. Nela, mais de 50 jovens poderão utilizar o espaço para viver o ensino superior no Baixo Tocantins. A moradia está em processo de compra de mobília, eletrodomésticos, dentre outros equipamentos, a fim de receber os/as futuros/as moradores/as, já tendo chegado alguns equipamentos, como bebedouro, geladeira, dentre outros.

Foto da Moradia Estudantil

 

Nos 40.000 m² doados pela Família Faleiros Lima, em Cametá, busca-se a construção do Campus II do Campus Universitário do Tocantins/Cametá, com mais gabinetes, laboratórios, salas de aula e prédio administrativo, de modo a atender às necessidades de um Campus sempre em expansão, fruto de uma Unidade a envolver docentes, técnicos e discentes em defesa e luta por uma Universidade sempre pública, gratuita, plural, diversa, democrática, inclusiva, com qualidade social. E já em processo de licitação está a construção do muro do Campus II, a partir de recursos da administração superior.

Foto de área doada de 40.000 m²

 

A esperança proposta por Paulo Freire, enquanto práxis, construção de realidades, de história em processo, move esta Unidade Regional para que mais jovens e adultos estejam com qualidade nesse espaço público e gratuito, assim como docentes, técnicos e o Baixo Tocantins em sua diversidade. Outrossim, os demais Polos Universitários vêm também buscando condições para processo de doação de espaço com área construída, de modo a atender mais ainda com qualidade o processo formativo neles desenvolvido. A história mostra a realidade em construção.

 

Texto: Coordenação do Campus Universitário do Tocantins/Cametá

registrado em:
Fim do conteúdo da página